terça-feira, 26 de novembro de 2013

RELATIVIDADE GENERALIZADA

A curvatura do espaço

   Assim quando, em 1915, o professor Einstein publicou sua teoria da Relatividade generalizada, teoria revolucionária que ampliava radicalmente a teoria restrita de 1905, incluindo toda espécie de movimento, rotação e aceleração e mostrando a Natureza em quadros novos.
   Em sua teoria da Relatividade generalizada havia engenhosamente assentado que a presença da matéria imprimia uma curvatura em todo espaço circundante.
   O raio dessa curvatura dependeria da massa e da distribuição de matéria, ou, em outras palavras, da resistência do campo de força gravitacional de uma estrela.
   O Sol, por exemplo, provoca no espaço-tempo continuum, à sua volta , uma distorção em quantidade diretamente proporcional à sua massa. 
   Essa curvatura do espaço, por sua vez, afeta os movimentos de todos os corpos, forçando-os ( pela adoção do caminho mais cômodo) a seguir por ela em suas jornadas siderais.
   Como os seres humanos, também as estrelas são preguiçosas quando se deslocam. Encontrando pelos céus afora os "montes e vales" ocasionados pela gravitação, preferem evitar ascensão dos montes e seguir pela cômoda estradas dos vales.
   O pai da teoria da Relatividade predissera que se fosse exata essa estupenda explanação das forças cósmicas, a luz estelar, passando próximo ao Sol, deveria sofrer uma curva ou reflexão no sentido dele, desvio causado pela atração gravitacional e pela modificação geométrica da curvatura do espaço (GARBEDIAN, 1946, p. 139 e 141).


  

Um comentário:

Ressonância Harmônica.