A Matemática e a Beleza

 
 
 
       Quando eu era criança, eu tinha uma aparência que agradava as pessoas, pois segundo o julgamento delas, eu era uma criança bela. Na escola onde eu fiz o fundamental, eu tive um desempenho muito bom, porque eu conseguia tirar as minhas dúvidas, principalmente em matemática, perante o professor, mas alguns de meus colegas não conseguiram êxito, simplesmente, pelo fato do professor ser indiferente com eles. Então, eu pensei o seguinte, que para ter acesso ao professor ou professores, temos que ser belos.
       Quando fui para universidade para fazer o curso de matemática, e sabendo que não tinha mais aquela aparência quando era criança, percebi que eu estava certo em relação a beleza exterior das pessoas, ou melhor falando, dos alunos. Como havia mais professores do que professoras no meu curso, observei que os professores eram mais atenciosos com as alunas que eles achavam belas, pois para esses tipos de professores é prazeroso atender essas alunas. Os alunos e as alunas que não agradavam os professores tinham um rendimento menor perante as disciplinas do curso.
       Eu fiquei famoso como professor de matemática, não simplesmente por saber muito, mas pelo fato de ter dado a mesma atenção a todos aqueles foram meus alunos, pois, a matemática não discrimina ninguém, porque ela sempre estará ao acesso de todos.
 
       

Comentários

Postar um comentário